Volume de gado abatido em Mato Grosso aumenta 8,9% e média de preços sobe

No entanto, segundo fontes do IMEA (Instituto Mato-grossense de Economia Agropecuária), “a maior parte destes animais foi entrega de contratos a termo, o que, para aqueles frigoríficos que não realizaram este tipo de negociação, resultou na dificuldade em fechar as programações de abate. Para se ter uma ideia, em outubro, as escalas de abate ficaram em torno de 5,95 dias, valor 5,17% menor ante a setembro deste ano e 11,81% inferior a outubro do ano passado. Somado a isso, a retenção de fêmeas começou a ser mais intensa, sendo demonstrada pelo decréscimo de abate de 3,16% no mesmo período, desta categoria”, aponta os analistas do instituto, no boletim semanal divulgado esta tarde.

“Com todo este movimento, a arroba tem seguido em valorização em novembro e os produtores continuam segurando o gado e aproveitam a atual conjuntura”. “Os preços seguiram disparados na semana passada, pois, além da oferta restrita de animais, os produtores agora seguram o pouco de gado na espera de melhores negócios. Assim, no comparativo semanal, as médias do boi e da vaca gorda fecharam em R$ 163,38/@e R$ 152,53/@, respectivamente, com valorizações de 5,48% e 4,97%, na mesma ordem”.

 

 

 

Fonte:Agronotícias

By | 2019-11-22T08:29:01+00:00 novembro 22nd, 2019|Brasil, Mato Grosso, Pecuária|0 Comentários