Entidades e indústria debatem estratégias para reduzir casos de brucelose em Mato Grosso

A diretoria do Sindicato das Indústrias Frigoríficas de Mato Grosso (Sindifrigo-MT) se reuniu com representantes do Ministério da Agricultura, Indea, Famato, Acrimat para discutir sobre a brucelose, cuja vacinação é obrigatória em duas etapas semestrais por ano, em Mato Grosso, utilizando dose única da vacina B19 em fêmeas de 3 a 8 meses de idade.

A primeira começou em janeiro e vai até 30 de junho, com prazo máximo de comunicação até 10 de julho. A segunda é de 1º de julho a 31 de dezembro, com prazo máximo de comunicação até 10 de janeiro do ano seguinte. A indústria se mostrou receptiva a solicitação do ministério da Agricultura e do Indea e se comprometeu com o engajamento para a erradicação da Brucelose em Mato Grosso.

Para Janice Leones Pardal, chefe de Serviço da Saúde Animal da superintendência Federal de Agricultura em Mato Grosso, a única maneira de fazer isso é via frigorífico, para conseguir eliminar o problema da propriedade. “Mato Grosso tem a maior prevalência do País, nós em 2002 tínhamos tido 48 propriedades com pelo menos um animal positivo, 10% das fêmeas positivas também, no segundo estudo ano, depois com a vacinação muito intensa, nós chegamos a 24% de propriedades notificadas, e 5.1% de fêmeas reagentes,  foi uma queda significativa, no entanto muito alta e em comparação à Santa Catarina e  Rio Grande do Sul, que é o outro extremo,  tem 0,6% de  prevalência”.

 

By | 2019-04-08T08:15:49-03:00 abril 8th, 2019|Agronegócio, Pecuária|0 Comentários