Soja abre em queda mais uma vez e preços no Brasil ficam pressionados

Pela terceira vez consecutiva as cotações da soja na Bolsa de Chicago operam em campo negativo. Nesta sexta-feira, dia 7, o recuo apresentado na abertura do mercado (-0,31%) é menor que nos dias anteriores (na casa dos 1%), mas se fechar assim a semana se encerrará com perdas acumuladas em torno de 1,5%, confirma a consultoria Safras e Mercado. O problema para o Brasil é que se as cotações fecharem em queda mais uma vez, os preços no mercado interno que já estão pressionados pelos recuos anteriores, podem enfim se desvalorizar.

Chicago e câmbio na quinta

Os contratos da soja em grão com entrega em julho fecharam a quinta-feira, dia 6, com baixa de 1,00 centavo de dólar por libra-peso ou 0,11%, a US$ 8,68 por bushel. A posição agosto teve cotação de US$ 8,75 por bushel, com perda de 1,00 centavo de dólar por libra-peso ou 0,11%.

Nos subprodutos, a posição julho do farelo fechou com retração de US$ 1,80, ou 0,56%, a US$ 315,90 por tonelada. No óleo, os contratos com vencimento em julho fecharam a 27,76 centavos de dólar, com alta de 0,54 centavo ou 1,98%.

Mesmo com a queda em Chicago e recuo do câmbio na quinta, o mercado brasileiro de soja teve um dia de preços praticamente inalterados. Mesmo assim, houve registro de negócios envolvendo 50 mil toneladas no Rio Grande do Sul, 30 mil no Paraná e outras 20 mil no Mato Grosso.

Em Passo Fundo (RS), a saca de 60 quilos seguiu em R$ 78,50. Na região das Missões, a cotação seguiu em R$ 77,50 a saca. No porto de Rio Grande, preço permaneceu em R$ 82,50.

Em Cascavel, no Paraná, o preço seguiu em R$ 76. No porto de Paranaguá (PR), a saca subiu de R$ 82 para R$ 82,50.

Em Rondonópolis (MT), a saca ficou em R$ 69. Em Dourados (MS), a cotação estabilizou em R$ 70. Em Rio Verde (GO), a saca permaneceu em R$ 69.

 

 

Fonte:Canal Rural

By | 2019-06-07T10:47:46-03:00 junho 7th, 2019|Agronegócio, Comercial, Economia|0 Comentários
Do NOT follow this link or you will be banned from the site!