Soja faz novas mínimas em Chicago nesta 3ª e preços no Brasil tem mais rodada de baixas

Nesta terça-feira (30), o mercado da soja intensificou suas baixas na Bolsa de Chicago (CBOT), encerrando o dia com perdas de seis pontos nos principais vencimentos. Renovando suas mínimas, os futuros da soja terminaram o dia perdendo pouco mais de 6 pontos, com o maio/19 terminando o dia em US$ 8,41 por bushel. Ao longo do pregão, o contrato chegou a perder esse patamar, mas recuperou-se.

A demanda está cada vez mais vacilante e a margem de esmagamento se encontra negativa. Além disso, os estoques nos EUA são muito elevados e a atividade política na guerra comercial tem se mostrado mais tímida nos últimos dias, mesmo com líderes americanos em Pequim esta semana.

Parte das atenções está voltada ainda à questão do clima nos EUA. As condições são desfavoráveis para os produtores norte-americanos neste momento e para os próximos 10 dias ao menos, com ainda muitas chuvas, frio intense e neve no meio da primavera. No entanto, o foco dos traders parece estar nas previsões estendidas, com os mapas mostrando possíveis mudanças em 15 dias.

O plantio da soja nos EUA foi concluído, até o último domingo (28), em 3% da área, de acordo com números do boletim semanal de acompanhamento de safras reportado nesta segunda-feira pelo USDA (Departamento de Agricultura dos Estados Unidos). O índice ficou ligeiramente abaixo da média esperada pelo mercado de 5%. Na semana passada eram 1%, no ano passado 5% e na média plurianual, 6%.

Preços no Brasil

Com essa combinação de preços em queda na CBOT e de um novo recuo do dólar nesta terça-feira (30), os preços da soja no mercado brasileiro também voltaram a cair. Nos portos, baixas de 0,66% a 0,67%, com as referências variando entre R$ 73,80 a R$ 75,50 entre Paranaguá e Rio Grande.

No interior do país as perdas não foram generalizadas, mas também aconteceram. Em Tangará da Serra, Mato Grosso, por exemplo, baixa de 1,60% para R$ 61,50 por saca. Em Jataí, no Goiás, a referência foi a R$ 64,50, recuando 0,77%.

 

 

Fonte:Notícias Agrícolas

By | 2019-05-01T10:10:45-03:00 maio 1st, 2019|Agronegócio, Comercial, Economia|0 Comentários
Do NOT follow this link or you will be banned from the site!