Soja: Mercado tem bom momento para vendas da safra nova no Brasil

As vendas de soja da nova safra do Brasil caminham bem neste momento. O dólar alto frente ao real tem sido um dos principais combustíveis para a formação dos preços da nova temporada, já que a moeda americana volta a atuar acima dos R$ 4,00 e cria um ambiente bastante favorável para as referências diante de melhores preços que são observados também na Bolsa de Chicago.

No acumulado do ano, até esta quinta-feira (17), o dólar comercial acumula uma alta de 9,97%, saltando de R$ 3,79 para R$ 4,17. Nos últimos 30 dias, o ganho é de 2,32%. E apesar da queda de mais de 1% nesta sexta-feira (18), a divisa se mantém acima dos R$ 4,10.

Ao se observar a movimentação dos futuros da soja negociados na Bolsa de Chicago, nos últimos 30 dias a evolução também foi considerável e ajudou a motivar os negócios. O contrato março/20, de 17 de setembro a 17 de outubro subiu 4,13% passando de US$ 9,19 para US$ 9,57. O maio/20 foi de US$ 9,30 para US$ 9,65, com ganho de 3,76%.

O caminhar do dólar e dos futuros da oleaginosa na Bolsa de Chicago, no entanto, está ao lado de outros fatores importantes que têm motivado a comercialização pelos sojicultores brasileiros e que, segundo algumas estimativas, já chega a 30% da safra 2019/20.

A demanda ainda intensa, inclusive internamente, também é outro fator de estímulo às cotações. A China tem se mostrado um pouco mais presente nos EUA neste momento, porém, sem um acordo efetivo entre os dois países, a maior concentração das compras da nação asiática continua no mercado brasileiro.

No entanto, os prêmios para a safra nova, embora equilibrado com os americanos, ainda estão baixos e acabam por limitar preços ainda melhores. O que, para alguns analistas e consultores, acaba sendo também um alerta para os produtores que estão optando por fechar novas vendas neste momento.

Segundo o gestor da área de grãos da Sementes Roos, Olmar Lanius, o mercado está se ‘oportunizando’ para os produtores e eles estão aprovitando, de fato, estes bons momentos.

“Os preços estão bem melhores do que os observados no primeiro semestre do ano. Quem conseguiu segurar suas vendas para o segundo semestre está garantindo valores melhores, já que tanto para o produto disponível, quanto para o da safra nova já mostra uma diferença para cima de R$ 7,00 a R$ 8,00 por saca”, explica Lanius.

O executivo diz ainda que 2020 também pode reservar oportunidades interessantes. “E isso pode ser visto no milho também. Acredito que estamos em um momento bem promissor”, diz.

Produtores das mais diversas regiões do país vem relatando ao Notícias Agrícolas que, de fato, as vendas antecipadas nesta safra têm caminhado em um ritmo um pouco mais acelerado do que no anterior. Segundo eles, estão aproveitando este bom momento para travar parte dos seus custos, garantindo boas margens e se protegendo de incertezas que rondam o início de 2020.

Há sojicultores falando em 70% de sua nova temporada já comercializada. No entanto, alguns ainda observam as condições climáticas de suas regiões para começar a tomar decisões e definir suas estratégias. Números atualizados nesta sexta-feira pela ARC Mercosul mostram que o plantio da soja 2019/20 no Brasil chegou a 23% e o ritmo superou a média dos últimos cinco anos, apesar de todas as adversidades de clima.

Segundo a consultoria, como tradicionalmente acontece, os trabalhos de campo são puxados pelo Mato Grosso. Problemas são, apesar de pontuais, graves em partes do Paraná, Mato Grosso do Sul e Goiás. Previsões mostram novo padrão de tempo seco, com chuvas mal distribuídas nos primeiros 10 dias de novembro, principalmente em GO, MG, SP e Matopiba.

 

 

 

 

Fonte:NotíciasAgrícolas

By | 2019-10-21T08:19:07-03:00 outubro 21st, 2019|Agronegócio, Comercial, Economia|0 Comentários
Do NOT follow this link or you will be banned from the site!